«Eu e a pandemia»

 

Objetivo:

Partilhar o testemunho de diferentes pessoas sobre o impacto da pandemia, dificuldades (ainda) sentidas e forma de adaptação às mesmas.

Logo_PTP_FINAL.jpg

#1

 

«Como é que vou coordenar uma equipa remotamente se vivo muito do contacto visual e presencial?» Joana Mota

#2

 

«Muitas coisas ajudaram-me a passar por esta fase difícil da vida (de isolamento e de solidão). Tenho muita sorte porque posso ainda dar aulas… o contacto com os meus alunos tem sido bom para o meu espírito…» Linda Chaves

#3

 

«Na minha esfera profissional, uma dificuldade sentida foi a manutenção de uma rotina ativa e saudável a que os nossos sócios estavam habituados.» Rita Rocha

#4

 

«… acabei por ficar sem tempo para mim e para a família. (…) Inicialmente, pensei que conseguia lidar com tudo, até que o meu corpo começou a dar sinais…» Rita Mota

#5

 

«Senti um avolumar do medo que talvez tenha sido desmedido face à situação.» Ana Medeiros

#6

 

«A pandemia conseguiu em algumas situações quase ameaçar as minhas competências e as minhas convicções.» Paulo Resendes

#7

 

«Uma das maiores dificuldades foi ter de conciliar o tempo de trabalho com a escola dos meus filhos…» Anabela Lopes

#8

 

«Tivemos de pedir apoio financeiro para que as mesmas [as empresas] continuassem a sustentar o sonho de reabrir as portas.» Pedro Alves

#9

 

«O maior problema foi não sabermos quanto tempo íamos estar neste registo. Foi complicado para todos nós. Não fazíamos ideia para o que estávamos a vir. Não tínhamos qualquer tipo de preparação. Não nos tinham explicado nada. Ninguém sabia. Ninguém estava preparado.» Renata Sereno

#10

 

«Fui mãe pela primeira vez no pico da primeira vaga da pandemia. (…) Tinha sempre o medo latente e muito presente de poder ser infetada e isso significar ter de ficar afastada do bebé após o parto…» Tânia Martins

#11

 

«É exigente no sentido de uma grande adaptação e paciência que temos de ter para levar o barco a bom porto…» André Ribeiro

#12

 

«Os confinamentos que me apertaram (…) de forma sufocante as fronteiras e que me trouxeram uma rotina (…) quase claustrofóbica.» Paulo Selva

#13

 

«Resolvi abrir o meu próprio espaço de estética mais ou menos em meados de março de 2020 (…) foi uma altura péssima (…) Eu tive que fechar a loja na altura e teve mesmo que desistir daquele projeto.» Cláudia Meireles

#14

 

«Estava também a assistir a uma avolumar de trabalho, a uma necessidade maior de dar respostas a situações novas.» Vera Matos