Como posso ser feliz com ele(a)?

June 26, 2017

Atualmente, as relações amorosas são testadas diariamente com imensos e complexos desafios. Nem sempre os casais têm as respostas adequadas para eles, principalmente se ficarem pelas «respostas do costume».  Muitos casais caem no erro de…

 

… pensarem que sabem tudo sobre relacionamentos amorosos;

 

… não acreditarem que há muito para aprender na construção de uma relação a dois;

 

… considerarem os modelos que receberam e as relações que viveram como as únicas formas de se relacionar com o outro;

 

… alimentarem nos pensamentos que o melhor caminho para a resolução dos problemas é deixar o tempo passar (e depois logo se vê!);

 

… colocarem esperança na chegada dos filhos como solução dos problemas vividos a dois;

 

… verem a rutura relacional como a melhor opção perante os problemas aparentemente irresolúveis;

 

… fantasiarem a «pessoa certa» como sinónimo de «pessoa perfeita»;

 

… esperarem que o(a) parceiro(a) seja exatamente aquilo que foi fruto de uma idealização;

 

… se agarrarem às recordações de perceção de insucesso ou de infelicidade das relações do passado;

 

… se angustiarem com a incerteza do futuro da relação amorosa;

 

… se esquecerem de viver o presente a dois e as maravilhas do mesmo;

 

… não procurarem novos(as) e melhores métodos, estratégias, técnicas, competências, rotinas, entre outras preciosidades potenciadoras de um aumento da satisfação no seio do casal;

 

… não quererem errar e de não saberem lidar com o erro.

 

Estes são apenas alguns exemplos.

 

Como mudar esta visão? 

 

Admita a sua imperfeição e a dele(a) também. Explore as múltiplas formas para ser feliz dentro de uma relação desejavelmente imperfeita. Abra-se com ele(a) para encontrarem soluções numa conversa olhos nos olhos, pautada pela serenidade, sinceridade e capacidade de escuta. Se estiver com problemas ou, mesmo na ausência deles, se sentir que a relação precisa de passar para um próximo nível, não tendo “ferramentas” para o sucesso, procure a ajuda de um psicólogo e/ou de um terapeuta de casal. Há muito para aprender sobre a sua relação, que tem características únicas.

 

Se considerarmos que, como refere o psicólogo Eduardo Sá no livro 'Tudo o que o amor não é", «... uma relação amorosa não deixa que nos divorciemos da saudável ambição da namorar com a vida.», talvez pensemos duas vezes (ou mais) sobre as mudanças que devemos começar a implementar.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Ouço tanto «eu» entre nós!

September 29, 2020

1/8
Please reload

Posts Recentes

September 21, 2020

September 7, 2020

August 24, 2020

July 12, 2020

June 30, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags