O silêncio e a empatia podem ajudar-te a…

November 12, 2018

O silêncio e a empatia podem ajudar-te a amar de corpo e alma e a seres (mais) feliz! Amber Hatch, no seu livro ‘A Arte do Silêncio’, diz-nos o seguinte: “Guardar silêncio, abrir mão do nosso eu ou ego por instantes e vivenciar o mundo através do olhar de outra pessoa pode ajudar-nos a descobrirmos uma ligação mais funda com ela.”. Procura alguém, agora mesmo, e junta-a(o) a esta leitura.

 

O silêncio e a empatia

 

são ferramentas essenciais para bem comunicares (e.g., escuta a mensagem que a outra pessoa tem para te dar e apoia-a, com ausência de julgamento, mesmo que esse apoio seja um simples «encosta-te no meu ombro e deixa-te estar»);

 

são formas de arte importantíssimas para uma sociedade harmoniosa (e.g., aprecia a beleza do momento de teres alguém que te ama a dedicar o seu tempo contigo para partilhar uma história encantadora ou um olhar de cumplicidade);

 

… são fenómenos positivamente desafiadores para a mudança pessoal e interpessoal (e.g., experimenta disponibilizares-te para alguém, verdadeiramente à escuta (de forma ativa), abdicando de alguma coisa que estejas a fazer e que é muito importante para ti, e dá feedback à pessoa (mesmo que seja «apenas» um sorriso sincero e um olhar de gratidão pela confiança que deposita em ti), de modo a que ela se sinta escutada e encorajada para ser melhor pessoa – a vossa relação e as vossas individualidades sofrerão uma mudança positiva);

 

são oportunidade de autoconhecimento e de conhecimento do outro (e.g., foca-te no olhar da outra pessoa e entra no mundo dela e, simultaneamente, pelo efeito espelhado, no teu também, permitindo que a outra pessoa viva a mesma experiência);

 

são excelentes aliados das boas decisões, ou seja, ajudam-te nos processos de tomada de decisão (e.g., o facto de te permitires colocar no lugar do outro e de observá-lo(a) com paz de espírito, podes começar a ter uma leitura mais rica da vida e um leque muito maior de respostas para os desafios da vida, aumentando a tua autoconfiança, o teu sentimento de pertença (às outras pessoas e ao mundo), a tua autoestima, a tua inteligência emocional, facilitando e melhorando, assim, as tuas decisões);

 

são movimentos reivindicativos da defesa dos direitos humanos e atitudes afirmativas em direção à qualidade de vida pessoal e universal (e.g., o uso devido da «voz do silêncio», aliado às ações práticas e revigorantes na defesa de uma sociedade justa, tolerante e não violenta, de mãos dadas com outras pessoas, permitem ter esperança num mundo melhor);

 

Em jeito de síntese, como nota importantemente esclarecedora, afirmo que o silêncio que te deixo não é um silêncio de desprezo, de indiferença, de altivez ou de tantos outros tipos de silêncio perturbador e desrespeitador. Este silêncio é aconchegante, altruísta e respeitador, pois só dessa forma poderia entrar no mundo da empatia. Assim, respeitando o que anteriormente esclareço, posso dizer que o silêncio e a empatia são dois atos inteligentes que devem andar sempre de mãos dadas contigo, pelo poder revitalizador e humanizante que podem ter na tua vida e na das pessoas que vão tendo a oportunidade de se cruzarem contigo. Olha agora para a pessoa que se juntou contigo a esta leitura, agarra na mão dela e… (silêncio).

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Acolhes a minha tristeza?

September 21, 2020

1/7
Please reload

Posts Recentes

September 21, 2020

September 7, 2020

August 24, 2020

July 12, 2020

June 30, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags